Acesso restritoCONSULTAS BOA VISTA SCPC

Números e dados

Região Administrativa - Sorocaba - Sede da IV região administrativa do Estado.

População: População total – 71.228
População zona urbana – 24.950 habitantes
População zona rural – 46.278 habitantes

Eleitores - 49.195
Dados fornecidos pelo IBGE – senso 2010 (dados parciais)

Qualificação: Estância Turística, Município Agrícola

Coordenadas geográficas: Latitude S.23’ 39’ 20’ - Longitude W.Gr. 47’ 13’ 31’ e distante em linha reta da capital do Estado em 63 km. Rumo em relação da capital do Estado: O S O. Portanto a localização geográfica do município de Ibiúna é na região sudeste do Estado de São Paulo, nas encostas da Serra do Paranapiacaba.

Limites do Município:
ao Norte - limita-se com São Roque, Mairinque e Alumínio
ao Sul - limita-se com Juquitiba, Miracatu e Tapiraí
a leste - limita-se com Cotia e São Lourenço da Serra
a oeste - limita-se com Piedade e Votorantim

Área do Município: A área do município de Ibiúna é de 1.058 km2, sendo 34° município de maior extensão territorial do Estado de São Paulo.
A altitude média é de 996 metros acima do nível do mar, sendo considerada a terceira cidade mais alta do Estado.
Seus pontos mais altos - Morro da Praça da Figueira - 1000 metros e Pico da Serra do Verava - 1200 metros.

Temperatura: A temperatura sofre as seguintes médias de variações:
Máximas 27°C e mínimas 0,6°C, Compensada 19°C.
O seu clima é de montanha, salubérrimo, análogo ao de Campos do Jordão.
Clima temperado com inverno úmido.

Umidade relativa do ar: de um modo geral é alta, oscilando entre 60% e 90%, sendo que a área serrana é mais úmida, podendo chegar aos 120%. As mínimas costumam ocorrer no outono e início do inverno.

Tipos de solo: Há vários tipos de solo no município, porém a maior parte da região agrícola é coberta com latossol vermelho amarelo - orto e podozolizado com cascalho.
* Latossol vermelho amarelo - orto (LV): são solos argilosos profundos, de coloração alaranjada desenvolvidos a partir de granito e gnaisses, geralmente ácidos e naturalmente ricos em matéria orgânica. Ocupam a meia encosta de serras e patamares de morros.
* Podozolizado com cascalho (PC): solos argilosos, pouco profundos observando-se em todo o perfil de distribuição de cascalhos de 3 a 5mm de diâmetro, superior a 20%. Separação de horizontes bem destacadas, saturação de base alta ou baixa, originário de granito. Geralmente ácido rico em matéria orgânica, quando desbravado. Existe a região do caulim nos bairros Murundu e Vargeado, uma grande concentração deste mineral com a presença de bauxita. Chegou-se inclusive a ser instalada uma mina de extração, mas que foi fechada porque o mineral extraído apresentava baixa qualidade. Entretanto, a predominância do solo é o massapé roxo e o P.H. oscila entre 5 a 6%.

Topografia
A topografia do município é bastante variável, uma vez que esta se localiza nas encostas da serra do Paranapiacaba, normalmente ondulada, acidentada e montanhosa. As maiorias das terras possuem declividade superior a 12%, podendo atingir 100% nas regiões mais altas. Por esta razão a maior parte da agricultura local é desenvolvida nas terras de encostas e meia encosta, devido a ausência generalizada de planícies.

Relevo
Ibiúna, por estar localizada na bacia fisiográfica do Paranapiacaba, tem exatamente por isto uma topografia muito irregular, apresentando várias serras, montanhas e encostas. Dentre as inúmeras serras, destacam-se as de São Sebastião, Queimada, Focinho, Abreu e Caucaia do Alto. Na parte que serve de limite com Votorantim está situada a serra de São Francisco, rumo a Piedade e há um contraforte denominado Serra de Pirapora que se desdobra em várias montanhas, que passando pelo antigo bairro das Furnas, vai se juntar à Serra Grande de Una. Entre o município de Ibiúna e Cotia está a Serra do Verava que é o ponto mais alto de Ibiúna, com 1200 metros de altura. O segundo ponto mais alto é o da Praça da Figueira no cume da serra ou montanha do bairro do Campo Verde e Cachoeira.